Publicado em 01 de setembro de 2014

Controle de pragas em ambientes alimentares

Fabricar e produzir alimentos é trabalho árduo e de extrema responsabilidade, especialmente no que se refere ao controle de pragas. É conhecido como praga qualquer agente animal que pode causar danos materiais e contaminação, com risco à saúde, à segurança e à qualidade. As principais pragas urbanas são baratas, cupins, formigas, moscas, pombos domésticos, morcegos e ratos.

A presença desses animais pode ser sinal de duas situações: falha nos procedimentos de higiene e saúde ou problemas estruturais. Quando encontram abrigo, alimento e água, as pragas se fixam no local. Por isso a importância do controle de pragas.

Além de colocar a imagem da marca em risco, a presença de pragas pode causar sérios problemas de saúde a funcionários e clientes, causar contaminação nos produtos e danos estruturais ao ambiente. As principais doenças transmitidas por estes animais são leptospirose, tifo, cólera, difteria, tétano, tuberculose, disenterias, infecções e outras.

Para a realização da Copa do Mundo no país, foi realizado um trabalho bastante minucioso em relação aos ambientes alimentares. Foi feita uma classificação dos serviços de alimentos levando em conta os aspectos de maior impacto para a saúde. Diversos restaurantes nas cidades sedes passaram por avaliação e receberam notas da Vigilância Sanitária. Esta classificação está disponível aos consumidores identificando a qualidade sanitária dos locais.

Controle de pragas: como combatê-las?

Normalmente para o combate de pragas são utilizados produtos químicos específicos. No caso de ambientes alimentares, o uso de agrotóxicos e defensivos deve ser feito com rigoroso controle e muito cuidado, pois também podem causar a contaminação dos alimentos. O uso de forma indevida pode causar intoxicação e até envenenamento. Por isso, é tão importante evitar a contaminação.

Nesse segmento, o controle é feito de duas formas: com medidas preventivas e corretivas.

As medidas preventivas incluem:

  • Vistoria e análise das edificações para identificar rachaduras, buracos e outras situações que possam contribuir para a entrada de insetos e animais.
  • Manutenção de equipamentos e utensílios, evitando acúmulo de materiais e poeiras que colaboram para o desenvolvimento de pragas.
  • Verificação da potabilidade da água, pois ela pode ser condutora de larvas e elementos contaminantes.
  • Controle de higiene e saúde dos colaboradores. Eles também podem ser vetores dessas pragas.
  • Higienização dos locais. O acúmulo de poeira e resíduos é um atrativo para insetos e pequenos animais. Por isso, a limpeza é fundamental. É recomendado que, ao menos uma vez por ano, as atividades sejam paralisadas para uma limpeza mais profunda do local, com higienização completa e descontaminação.
  • Realizar controle integrado de vetores e pragas. Esse controle inclui a identificação e monitoramento de vetores e pragas encontradas no local. A partir desta identificação, é realizado o controle.

Em casos mais graves de contaminação, deve-se contratar uma empresa especializada para realizar a dedetização e controle de pragas. Antes de contratar o serviço, é importante verificar se a empresa está registrada na Vigilância Sanitária e se possui responsável técnico permanente. A Insect Bye possui todos os requisitos técnicos necessários para realizar o controle de pragas no seu restaurante!

Também é interessante pesquisar previamente sobre os aspectos operacionais utilizados pela empresa. Assim, você evitará problemas de contaminação por inseticidas e outros produtos químicos.

Melhorar o perfil sanitário da empresa é garantir qualidade e segurança alimentar aos seus clientes.

Links úteis:

dedetização;

dedetização rj;

dedetizadora;

descupinização rj;

desratização rj.