Conheça nosso Blog
Publicado em 21 de julho de 2014

Mosquito da Dengue: Como combater e se proteger deste vilão

Em 2013, entre Janeiro e Outubro, 573 pessoas morreram de Dengue no Brasil, segundo reportagem da Globo News. Um número assustador. É impressionante que uma doença tão antiga ainda ceife tantas vidas em nossos dias.

O custo da Dengue para o Estado é alto, pois além dos custos com os atendimentos aos pacientes acometidos da enfermidade, ainda existem os custos sociais, das famílias que perdem seus entes queridos para a doença.

Neste artigo, queremos abordar o tema, pois acreditamos que conhecer o “inimigo” é a melhor maneira de vencê-lo.

 

O Mosquito da Dengue

O nome do mosquito que transmite a Dengue é Aedes Aegypti (aēdēs do grego “odioso” e ægypti do latim “do Egito”). Normalmente, o mosquito da dengue se manifesta em regiões urbanas de clima tropical e subtropical (com presença de calor e chuvas). O Aedes Aegypti não consegue viver em regiões frias. (Por isso, a maior incidência de casos da doença ocorre no verão).

O mosquito da dengue é pequeno, é preto com manchas brancas no dorso, pernas e cabeça. Ele é muito silencioso, de forma que o ser humano não consegue ouví-lo. Além disso, a fêmea (o mosquito que pica os seres humanos) contém uma substância anestésica na saliva, fazendo com que não haja dor na picada, e nesse momento, através da saliva, ocorre a transmissão do vírus. Ou seja: Você não ouve e não sente nada, mas é silenciosamente infectado.

Em geral, o mosquito costuma agir na parte da manhã ou no final da tarde. Como eles voam baixo, em geral, a meio metro do chão, costumam picar os pés, tornozelos e pernas.

Reprodução do Mosquito da Dengue

Para a reprodução, o mosquito da dengue conta com fatores ambientais e com a falta de cuidado dos seres humanos. Qualquer local limpo e com água parada serve de “berçário” para os ovos do Aedes Aegypti. A fêmea deposita seus ovos em locais com água parada (limpa ou pouco poluída). Após saírem dos ovos, as larvas (que são brancas quando nascem), tornam-se negras depois de algumas horas, alcançando o estágio de pupas. Se o ciclo não é interrompido, o mosquito leva, em seu ciclo reprodutório apenas 10 dias de “ovo a ovo”: Quando o mosquito nasce, ela passa por quatro estágios de crescimento, que podem durar oito dias no total. Depois ela se transforma em pupa, estágio que dura, aproximadamente, dois dias. Depois de sair da pupa, o mosquito adulto já pode se reproduzir e botar ovos, quando o ciclo se reinicia.

Os ovos colocados pela fêmea podem sobreviver sem água por até 2 anos! Por isso, é fundamental que se tome o máximo possível de cuidado com acúmulos de água limpa. Se os ovos ainda estiverem “vivos”, basta um pouco de chuva e uma poça d´água para que, em apenas 10 dias, os novos insetos se desenvolvam e comecem um novo ciclo reprodutório. Normalmente, eles escolhem locais que estejam sombreados e em zonas residenciais. Por isso, é importante não deixar objetos com água parada dentro de casa ou no quintal. Sem este ambiente favorável, o aedes aegypti não consegue se reproduzir.

Formas de prevenção e combate à dengue

Para prevenir a dengue, é importante Não deixar água parada em nenhum lugar. Além disso, é importante que se aja comunitariamente e se converse com amigos e vizinhos sobre o tema. Todos precisam fazer sua parte! A Dengue mata. E ela não escolhe as vítimas. Mantenha sempre as caixas d´água limpas e fechadas, não deixe água acumulada, mantenha reservatórios de água fechados, troque a água nos vasos de plantas por terra, guarde as garrafas sempre de cabeça para baixo, não deixe pneus e outros entulhos que possam acumular água expostos ao tempo e embale sempre o lixo, deixando as lixeiras sempre fechadas e não jogue o lixo em terrenos baldios.

Outra forma de combate é através de “fumacês”: Os carros que passam em muitos locais, espalhando inseticida contra mosquitos. Sempre que o “fumacê” passar na sua localidade, abra as janelas e portas, de forma que o inseticida possa entrar e agir. Essa não é a solução, mas com certeza é uma boa ajuda ao combate do mosquito.

Vamos armar uma armadilha para o Aedes Aegypt

Uma outra forma, mais pessoal e engenhosa de combater o mosquito da Dengue é através da armadilha para mosquitos, desenvolvida pelo Professor Maulori Cabral. Se cada pessoa fizer 10 dessas armadilhas,  colocar 5 em casa e distribuir outras 5, seríamos capazes, em tese, de erradicar o mosquito da dengue em poucos anos. Além disso, poderíamos encorajar projetos nas escolas públicas, municipais e estaduais, visando ensinar às crianças a montar estas armadilhas, atividade esta que seria, ao mesmo tempo, educacional e preventiva.

Você pode obter instruções sobre como montar a armadilha para o mosquito da dengue no site “Sempre Sustentável”, ou vendo o vídeo da entrevista (abaixo)

 

O que mais pode ser feito para combater o mosquito da dengue?

Além de tudo que já foi mostrado até agora, as pesquisas continuam avançando no sentido de exterminar definitivamente a dengue. Um dos projetos, da Fiocruz, pretende usar bactérias do gênero Wolbachia, que impedem que o mosquito Aedes aegypti transmita o vírus da doença. A técnica, que foi desenvolvida na Austrália, injeta a bactéria nos ovos dos mosquitos transmissores da dengue. A bactéria age roubando os nutrientes do vírus, de forma que o vírus da dengue não se desenvolve no mosquito (ele morre por inanição) e, consequentemente, a dengue não é transmitida ao ser humano.

As fêmeas (são elas que mordem humanos, lembra?) infectadas com a Wolbachia sempre geram filhotes com a bactéria na reprodução. No cruzamento, não importa se o macho possui ou não o micro-organismo. Caso um macho contaminado cruze com uma fêmea sem Wolbachia, os óvulos fertilizados morrem. A ideia é soltar fêmeas com a bactéria para que elas se reproduzam com machos que tenham o vírus da dengue e, progressivamente, ir contaminando ao máximo a população do inseto. Dessa maneira, haveria cada vez menos mosquitos capazes de transmitir a doença. Uma solução incrível.

Infelizmente, esta pesquisa ainda está sendo testada e, por isso, os resultados práticos devem demorar a chegar. Enquanto isso, é possível fazer dedetizações contra mosquitos, usar repelentes e seguir todas as recomendações dos agentes de saúde.

 

Quais são os sintomas da dengue e como tratá-la?

Os sintomas da dengue incluem febre, dores de cabeça e nas articulações, dor nos olhos, cansaço, náuseas, manchas vermelhas e, no caso de dengue hemorrágica, podem incluir dificuldade de respiração, perda de consciência, pulso fraco, sangramento na boca, gengivas e nariz e pele pálida, fria e úmida. Ao sentir qualquer destes sintomas, principalmente no verão, procure imediatamente o serviço de saúde da sua região.

O importante é que se procure socorro médico o quanto antes, pois cada minuto conta. Além disso, a hidratação é essencial: Beba muita água, suco, água de coco ou isotônicos. Bebidas alcoólicas, diuréticas ou gaseificadas, como refrigerantes, devem ser evitadas. Após o atendimento médico, use a medicação adequadamente, na dosagem e períodos corretos e NUNCA em nenhuma hipótese, tome qualquer medicamento a base de ácido acetil-salicílico (AAS), pois eles alteram a coagulação e aumentam o risco de sangramento.

O objetivo deste artigo é servir como informativo útil à sociedade sobre uma doença que é um risco para toda a sociedade e é dever de todos nós, como sociedade, ajudar a combatê-la.

A Insectbye está buscando, em colaboração com a sociedade, informar de forma responsável para que possamos, em um futuro breve – se possível – não perder a vida de nenhum outro cidadão brasileiro para esta doença.

Links úteis:

dedetização;

dedetização rj;

dedetizadora;

dedetizadora rj;

dedetização rio de janeiro.

CategoriasPosts RecentesTags